Patologias

Alguns dos diagnósticos médicos mais conhecidos:

Síndrome do Pânico

Quando a pessoa apresenta os seguintes sintomas:

Nesses casos é importante fazer exames com o cardiologista para verificar se os sintomas tem fundamento físico. Quando não forem comprovados motivos físicos será necessário manter um tratamento com um médico psiquiatra, simultâneamente à psicoterapia. A medicação prescrita pelo psiquiatra funciona como um facilitador inicial e colabora para o desenvolvimento da psicoterapia. Busca-se, na terapia, a diminuição da intensidade da ansiedade e a percepção e conhecimento das situações geradoras de tensão tanto do presente como do passado.

Depressão

No tratamento da depressão torna-se necessário consultar os dois especialistas: o psicólogo clínico e o psiquiatra, e realizar o acompanhamento simultâneo. O analisando precisa ter força de vontade e superar suas resistências, haja visto que não tem vontade de se relacionar. E, o analista precisa ser bastante presente, acolhedor e ativo, para ajudar o analisando em suas dificuldades para se comunicar.

Transtorno afetivo bipolar do humor

Na psicoterapia de pessoas que tem o transtorno afetivo bipolar do humor é necessário também o acompanhamento do médico psiquiatra que irá avaliar a cada caso, qual a medicação e a dosagem adequadas. Como psicoterapeuta de pessoas com esse problema dou ênfase aos cuidados muito necessários à estabilidade tais como: a manutenção de uma rotina estável de sono e alimentação de qualidade, e exercícios físicos à luz do dia. Esses cuidados são prioridade para quem tem esse problema. Na verdade, são cuidados recomendáveis a todas as pessoas. Mas quem tem o transtorno bipolar não pode passar sem essa manutenção, que lhe propiciará, juntamente com as sessões de psicoterapia e o acompanhamento médico, uma estabilidade.

Recomenda-se para quem está interessado no tema a leitura de Jamison, Kay Redfield “Uma mente inquieta”, São Paulo, Martins Fontes, 1996. Ela é uma renomada psiquiatra norte-americana, que coordena um centro de tratamento para pacientes com essa dificuldade. Nesse livro, autobiográfico, ela revela que tem o problema, e como se manifestou ao longo de sua vida.

Sentimentos paranóides

Pessoas que são auto-referentes, tedem também a ter sentimentos de baixa auto estima. Isso torna-se um círculo vicioso, porque a baixa-auto estima os torna mais auto referentes. A psicoterapia busca um aumento da auto estima e uma diminuição da relação idealizada com os demais. Busca-se perceber a nuances presentes nos relacionamentos presentes e a compreenção dos diferentes pontos de vista.